sábado, 17 de dezembro de 2011

Acabei de fazer uma loucura. Mas não estou nada arependida. Porque pela primeira vez na vida fiz uma coisa que me apetecia sem pernsar primeiro nos outros. (Não matei ninguém). Foi uma coisa que disse a alguém, que já tinha vontade de dizer há muito tempo, e desta vez não quis continuar sem dizer. Não sei se foi ou não o mais correcto, mas, tal como dizia uma frase que publiquei uma vez "por vezes não fazer o que é mais correcto faz de nós melhores pessoas". E eu acho que foi isso que aconteceu. Porque fui verdadeira. Comigo e com a outra pessoa. Não calei uma vontade que tenho.

13 comentários:

  1. Ultimamente, aconteceu-me isso por duas vezes. Pensei, pensei... e optei por falar. Acredita que em muito tempo, foi das primeiras vezes que pensei em mim e só em mim, para tomar essa atitude.

    Valeu a pena, sinto-me mais leve, sinto-me melhor comigo. Fui totalmente verdadeira, nessas duas situações falei com o coração.

    ResponderEliminar
  2. Nem deves controlar isso. Se sabes que estás a dizer o certo, diz. :)

    ResponderEliminar
  3. S*,

    Não sei que estou a dizer o certo. Sei mesmo que talvez não esteja certo. Mas, por um momento, preferi pensar no que eu queria e não pensar tantos nos outros, no que é ou não certo, nas circunstâncias e apenas dizer.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Anónimo,

    Hum?
    Devassa eu?
    ;)
    Alguma vez isso era possível?
    Mas o que eu gostava de saber é, não tendo eu falado no conteúdo daquilo que disse nem a quem foi (podia ser mulher) cmo é que o anónimo foi logo por esse caminho.
    (Por acaso acertou)

    ResponderEliminar
  5. Cara Miss G:
    Permita-me, por favor.
    Não sou o anónimo que a comentou e a quem respondeu, mas, confesso, admira-me a sua perplexidade em relação ao comentário desse.
    Quando uma mulher decide dizer a alguém uma coisa que há muito tinha vontade de dizer, (*), mas que calava porque pensava mais nessa dita pessoa que nela mesma, esse alguém só pode ser um homem.
    Dedução básica sem necessidade de forçar os neurónios. :)

    Uma boa semana

    (*) Que se trazia atravessada e nos dava cá uma raiva do caraças, mas agora ouviste, patife dum raio.:))

    ResponderEliminar
  6. Águia Pairando,

    Permito. Tem razão mas também não a tem. Que era uma coisa que eu teria a um homem, claro que sim, fácil de perceber. Mas o conteúdo da mensagem em si, para o anónimo dizer "devassa" é que já podia ser diferente, percebe?
    E também não está certo na parte do "que se trazia atravessada mas agora ouvuste, patife". ;) É outra coisa. Não estava nem atravessada nem me dava raiva.

    Uma boa semana também para si

    ResponderEliminar
  7. Claro que percebo. Assim como percebo que não houve nenhuma subjectividade no conteúdo da mensagem para o anónimo, e muito ao invés, uma certezinha bem directiva.
    Agora, se não estava atravessada nem lhe dava raiva, só se o incompetente queimou o assado.
    Eheh...
    Não só uma boa semana para si, como todas as da sua vida.

    ResponderEliminar
  8. Também precisava de fazer isso com uma pessoa, mas não consigo o medo impede-me... :s Falta-me a coragem.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  9. Águia,

    Confesso que me consegue deixar baralhada. O meu comentário para o anónimo não foi subjectivo? Parece que eu sei quem é o anónimo? Mas não sei. Pensei que talvez fosse a pessoa a quem disse o que já há muito devia ter dito mas não sei. E ele não deixou queimar o assado...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Miss Melancia,

    Neste caso a distância (que entre nós existe em vários aspectos) fez com que eu não tivesse medo e, confesso, também o saber que somos muito amigos e isto não vai abalar a amizade. Mas não deixe nada por dizer. Arrependemo-nos muito mais do que não fazemos do que do que fazemos.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Pois foi mesmo isso que eu quis dizer.
    Pensou, subjectivou e vai daí lançou o barro à parede para ver se colava.
    Assim, muito sub-repticiamente como quem apalpa avaliando para ver no que é que isto dá. :)
    Enfim, deixe lá, não ligue. Estou é a precisar de ir ao psicólogo, não tarda.
    Assim como assim nunca vou saber a patifaria que o traste fez, não é mesmo?
    :)

    Beijinho.

    ResponderEliminar
  12. Águia,

    Respondo a emails em vidadeumagaija.blogspot.com ;) por isso se quiser saber envie email que eu conto.

    Beijinhos

    ResponderEliminar