segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Presidenciais e eleições

Estava agora a consultar o portal do eleitor e apercebi-me que houve mais de 4% de votos em branco. O que segundo me lembro é um resultado mais alto do que o normal. E, tendo estado ontem e em quase todas as eleições anteriores em mesas de voto, resolvi aproveitar para esclarecer as pessoas que nas eleições presidenciais nem os votos brancos nem os nulos contam para o resultado final.

O que acontece é que estes votos são contados sim mas depois para efeitos de eleição do presidente da república apenas contam os votos efectivos, ou seja, os votos nos candidatos. Imaginem que numa mesa de voto houve 500 votantes. Mas que houve 35 votos em branco e 15 nulos. Ora, os votos que efectivamente contam quando se vão fazer as percentagens são 450 e não 500. É como se os 450 votos fossem 100%. E depois atribui-se a cada candidato a percentagem relativa ao seu número de votos. Mas atenção que não é o mesmo votar em branco ou nulo do que não votar. Voltando a fazer um exercício imaginem que a mesa de voto tem 1060 eleitores inscritos (que é o normal pelo menos no sítio onde costumo estar). Votam as mesmas 500 pessoas. Então existem 47% de abstenções. Apenas depois de se fazer o total de abstenções é que se contam os votos e se fazem as percentagens retirando então os votos brancos e nulos. Ontem quem acompanhou as emissões especiais das televisões deve ter visto que, contrariamente às outras eleições, quando eram mostrados os quadros com as classificações dos candidatos não apareciam os votos brancos e nulos. Exactamente porque não contam para os resultados.

Também li por aí dúvidas quando à percentagem do candidato vencedor tendo em conta a abstenção. Dizia uma pessoa que não era possível o vencedor ter tido 52% se tinha havido 50% de abstenção. Mas mais uma vez a resposta é a mesma. Quando são apurados os resultados o que conta são os votos expressos. Dos votos que se apuram é que se calculam as percentagens de cada candidato. A abstenção é calculada antes dos resultados. E se assim não fosse ninguém teria ganho ontem porque foi ela a grande vencedora. Embora eu ache que todas as eleiçoes com mais de 50% de abstenção deveriam ser repetidas. Mas isso é outra história.

Existe no nosso país uma ignorância muito grande no que diz respeito não só à política como ao sistema eleitoral. Dizia a senhora que falou na abstenção que quem faz as eleições não é quem vota mas quem conta os votos dando a entender que os membros das mesas adulterariam os resultados. E eu garanto-vos que isso é virtualmente impossível. Porque em cada mesa está um elemento militante/simpatizante de cada partido. O que faz com que ninguém se atreva a sugerir favorecer nenhum candidato.

Relativamente às situções que existiram com o cartão de cidadão não me vou pronunciar. Tenho cartão de cidadão mas não só o meu número não mudou como sendo eu membro das mesas e sabendo que havia pessoas que tinham ficado sem cartão de eleitor, quando fui fazer o dito cartão, disse à senhora que não queria que mo inutilizasse. Dizem que as pessoas a quem o número de eleitor foi alterando receberam a informação. Mas não sei se é verdade. Claro que podiam ter ido ver mais cedo o número e o local de voto mas para isso teriam de adivinhar que o número tinha mudado. E muitas pessoas não sabiam disso. Por isso falhou quem está a fazer os cartões de cidadão e não informou as pessoas.

O que não concordo é que tenha sido esse fenómeno o responsável pela abstenção. Porque ela tem vindo a aumentar em todas as eleições. E o cartão de cidadão não existe assim há tanto tempo. O que acontece é que cada vez mais as pessoas se desinteressam pela política. E se por um lado os percebo por outro não acho admissível as pessoas queixarem-se tanto mas depois não mexerem o rabo para ir votar. É que dizer que nada muda é muito fácil. Mas se não forem votar é que nada muda de certeza. E é por isso que sou partidária do voto obrigatório.

2 comentários:

  1. Nas ultimas eleições fui votar com o cartão de cidadão, levei o velho cartão de eleitor e votei sem problemas, ontem deparei-me com a situação do meu nr de eleitor ter mudado, sim estava muita gente na fila, sim mandei um sms cuja resposta veio 5 horas depois, mas nem por isso deixei de votar vim a casa, liguei o pc vi o nr e fui votar, claro que eu não sou uma velhinha de 80 anos e de bengala, mas curiosamente estava uma na fila para a junta de freguesia para saber o ser nr de eleitor, e não se queixava.

    A abstenção é grande porque falta cidadania às pessoas, porque se apregoa a liberdade e o direito de voto, e ninguém se lembra dos deveres, esquecem-se que para que eles possam votar houve gente que perdeu a vida.

    Posso dizer que o meu voto não contou, foi considerado nulo, mas fui lá, duas vezes, porque é importante não nos desresponsabilizar-mos do nosso papel na sociedade.

    ResponderEliminar
  2. Ana,

    Por acaso também já tinha lido por aí que havia pessoas que já tinham votado com o cartão de cidadão no mesmo sítio e de repente o número tinha sido alterado. E não percebo nem como nem porquê é que isto aconteceu. Mas concordo contigo quando dizes que falta cidadania às pessoas.

    ResponderEliminar