terça-feira, 2 de março de 2010

Reflexão

Quem tem um blogue tem-no porque, além de gostar de escrever, gostar de saber que outros o lêem. E alguns de nós gostamos também de ter respostas. Não digo todos porque há blogues que não permitem comentários nem têm e-mail à vista. Mas arrisco dizer que a maioria sim. Gostamos de ser lidos e gostamos de receber feedback sobre o que escrevemos. O que se traduz em também gostarmos de ter seguidores.

O problema é que o feedback nem sempre é positivo. Melhor dizendo há sempre reacções positivas e negativas ainda que apenas escrevamos "Está a chover". E quem tem um blogue tem de estar preparado para receber críticas negativas. A blogosfera apesar de tudo é um meio pequeno. Onde, mesmo que não conheçamos determinado blogger, já ouvimos falar. E caso isso não seja verdade esse conhecimento está à distância de um clique. Isto para dizer que se o mundo é uma noz e Portugal é uma ervilha, a blogosfera é a cabeça de um alfinete. E isto faz com que às vezes o que determinada pessoa escreve seja interpretado como um "recado" a outro alguém.

O que fazer?

Em primeiro lugar não nos podemos levar muito a sério. Depois temos de estar preparados para estas situações e encará-las com desportivismo. Depois ainda não podemos ter-nos numa conta muito elevada. Aqui como na vida lá fora não é bom termos uma auto-estima demasiado elevado nem muito baixa.

Isto tudo àcerca da confusão que por aí anda instalada e na qual eu inicialmente me envolvi.

Houve quem chegasse a ver, outros não, que tive aqui publicado um texto, onde falava de falta de coerência, de lobos em pele de cordeiros e de pessoas que não se apercebiam das verdadeiras intenções de alguém. Deixei também comentários no blogue da Pipoca Mais Doce num texto onde ela diz que há bloggers que queimaram o fusível.

E com tudo isto errei. Muito. E admito-o sem qualquer problema. Somos seres humanos. E errar é algo que nos acontece frequentemente. O que devemos fazer é aprender com os erros. E mais do que isso admití-los.

A blogger a quem supostamente a Pipoca se referia, embora sem nunca o tenha mencionado, era a Kitty Fane, d' "O Amor é um lugar estranho". Mas entretanto parece que a Miss Glitering, do Às nove no meu blogue, também anda por aqui envolvida por textos anteriores onde parece que a Kitty se referiu a situações que estavam naquele momento a acontecer com ela. Mas como já disse não quero saber os contornos desta história. Acho que se isso é verdade é mau. Mas não sei se é. São as três bloggers fantásticas.

E o que é deu origem a este texto? O texto que a Kitty escreveu sobre as meninas que não tendo recebido o Diva não tinham falado sobre o assunto. Ora eu senti-me retratada do texto da Kitty. E caíu-me mal. Porque eu falei sobre o Diva. Embora nunca tenha mostrado inveja de quem o recebeu. Sim, gostava de o ter recebido. Mas mais pelo que isso significava do que pelo telefone em si. Com o qual provavelmente faria um passatempo. E também nunca disse que achava o telefone piroso. Até porque não é essa a minha opinião. Se bem que gosto mais de Nokias porque os menús são bem mais faceís. Mas isso são outros 500. Senti-me retratada por esse facto e por ela no meu texto dizer que pior que gaja só gaIja. E outras pessoas houve que pensaram que ela se referia a mim no texto.

Eu sou ingénua. E gosto de o ser. Não pensem que acho que o mundo é cor-de-rosa. Não. Mas sou ingénua no sentido em que acredito nas pessoas. Sou incapaz de viver com o pé atrás. Comigo as pessoas começam no 100 e caso me desiludam vou subtraindo. E nunca no sentido inverso de ir acrescentando pontos começando de uma base de descrença. I'm a people person and I like that.

E isto foi um àparte. Voltando à vaca fria, quer isso tenha acontecido ou não, se eu não me meter no meio a guerra não será minha. E a verdade é que eu tenho uma dívida de gratidão com a Kitty. Na altura em que eu soube da doença da minha mãe enviei-lhe um e-mail, porque calculei que a doença que ela teve, tivesse sido a mesma embora num sítio diferente. E só tenho a dizer bem. Ela foi de uma amabilidade, atenção e simpatia comigo que não tenho palavras para descrever. E assim sendo eu só posso dizer bem dela. Não sei e não quero saber se ela realmente escreveu textos que versavam a Pipoca e a Miss Glitering. Não me interessa. Mesmo. Falo regularmente com a Miss Glitering, de quem gosto muito, e que leio já há muito tempo. Das três é aquela com quem tenho uma relação mais próxima. Apesar de nunca a ter visto considero-a amiga. Destas três bloggers só não tenho relação com a Pipoca porque nunca calhou. Mas também gosto muito de a ler e foi através do blogue dela o meu contacto inicial com a blogosfera. E não quero de forma alguma nem perder o que já contruí nem beliscar o que eventualmente possa surgir.

Além de tudo isto acho que a caixa de comentários do blogue da Pipoca atingiu um nível demasiado baixo. As pessoas não sabem criticar sem ofender. E ridicularizar a doença de alguém é algo para que não encontro palavras.

Por tudo isto retirei o meu texto. Retirei os comentários. E, ainda antes disso, enviei um e-mail à Kitty a explicar porque é que os tinha escrito.

Mas ainda assim acho que estive mal. E por isso quero aproveitar este texto para lhe pedir desculpa. Não quero definitivamente fazer parte de uma guerra que não é minha.

E para mim a blogosfera é algo que serve para me divertir. E eventualmente conhecer pessoas como já aconteceu. Mas não quero que este blogue sirva para alimentar guerras.

Porque não é essa a minha postura na vida. E não será essa a minha postura na blogosfera. Porque não me faz sentido.

Apesar de ser um caminho fácil. Ontem tive mais visitas do que alguma vez. Mas acreditem que souberam a muito pouco.

16 comentários:

  1. Tens razao quando dizes.. As pessoas não sabem criticar sem ofender. ...

    as pessoas actualmente utilizam os blogues como um meio para atingir um fim.. e aquilo que antes faziam às claras agora escudam-se atrás de um nick name e uma imagem...

    é triste só te digo...

    ResponderEliminar
  2. Eu estou tão, mas tão atenta que nem tinha reparo em nada... e leio os blogs em questão!
    Quanto a mim já dei, no meu blog, a minha opinião. E não mudo nada!
    Beijo*

    ResponderEliminar
  3. Não sei se erraste. Agiste por impulso, pensaste melhor e refizeste a tua postura. Sinal de sensatez e equilibrio. Coisa que falta a muito boa gente por estes lados.. Por tudo isso e pela humildade que demonstraste aqui, Parabéns. Por outras coisas mais que tu sabes, Parabéns também. Todas elas mostram a pessoa fantástica que és!

    ResponderEliminar
  4. Eu tb leio os 2 blogs, e vou continuar a ler, mas ate hoje não tinha dado conta de nada!!!

    Devo ser mesmo despistada, so pode!!

    ResponderEliminar
  5. convite para a seguir a história de Alice
    lá no ...continuando assim...


    bj
    Teresa

    ResponderEliminar
  6. Já eu, não erro.

    Mas também de humano tenho muito pouco. Coisa que compenso pelo abuso na parvoíce.

    O problema é levar a vida (até a virtual) demasiado a sério...

    ResponderEliminar
  7. Se não queres estar no meio do conflito então sai. Não continues a fazer posts atrás de posts sobre o mesmo.
    Dizer que não queres estar no meio da lama só é valido se realmente saires do meio dela! Até lá só contribuis para o lamaçal ser ainda maior.
    Desculpa o comentário.

    ResponderEliminar
  8. Anónimo,

    Eu gostei do seu comentário. Foi bastante educado. E tem razão no seu comentário. Mas eu inicialmente envolvi-me e senti necessidade de me explicar. Percebe?

    ResponderEliminar
  9. Percebo...
    Da mesma forma que percebo que quanto mais se fala no assunto mais vida ele tem e não morre.

    E não digas que erraste... Só deste a tua opinião. Não é para isso que o dono do blog tem o sistema de comentários? Logo. arrisca-se a ler coisas boas e/ou más.
    E nós arriscamos-nos a deixar-nos levar pelo impulso e comentar de forma melhor ou pior. Também lá deixei um comentário..E se pensar bem no assunto: foi uma idiotice. Não porque tenha mudado de opinião mas porque não vale mesmo a pena. Não vale a pena "comprar brigas dos outros".
    (desculpa o comentário longo sobre o tema!)

    ResponderEliminar
  10. Anónimo,

    Tens razão em dizer que quanto mais se fala no assunto pior porque ele não acaba. Mas eu senti necessidade de falar uma vez para me justificar. Dei a minha opinião sim mas errei porque não a devia ter dado. Porque não se entra em guerras dos outros sim. Mas porque a própria opinião visava alguém que em tempos me fez bem.
    E não tens de pedir desculpa pelo comprimento do comentário que eu gosto de ler.

    Bjs

    ResponderEliminar
  11. Oh Miss G, olha que isto! Deves ser fresca deves. Então a mulher ajuda-te com um problema de saúde da tua mãe e tu andas pela blogosfera a dizer cobras e lagartos dela por causa da m** de um telemovel?! Grande carácter.

    Esta gente dos blogs não bate nada bem.

    ResponderEliminar
  12. Você se diz ingênua. Pois bem, de certa maneira identifico-me com isso, mas costumo usar mais a palavra malícia. Viver, agir e pensar sem malícia num mundo de hoje é quase uma utopia, mas é bom. Por outro lado, mostra nossa verdadeira força. Identificar malícia nas intenções e atos alheios e, ainda assim, manter-se firme requer muito autoconhecimento e, sobretudo, indulgência. Já vi pessoas mudarem seu comportamento malicioso depois de não encontrarem em mim malícia... Felizmente, isso pega.

    ResponderEliminar
  13. Anónimo,

    Eu não disse cobras e lagartos da pessoa em questão. O que disse foram coisas diferentes, desagradáveis é certo, mas não a ofendi de forma alguma. E muito menos o que eu disse foi por cusa do telemóvel. Foi por me ter sentido retratada num determinado texto. Acredite que não sou louca. E fresca só no bom sentido. E quem me conhece pode atestar que sim, que tenho mesmo bom carácter. Mas sou humana e como tal erro. Muito. Todos os dias. E não me custa admití-lo como fiz neste texto.

    ResponderEliminar
  14. Opá sabem o que é que eu digo? Get a fucking life! Que ridiculas! Que infantis! Meu deus, deixem-se de merdas! Who the fuck cares? Mulheres adultas a discutirem por causa de posts e telemóveis? A sério que a vossa vida é assim tãaaaaaaaaaaaaaaaaao preenchida?

    ResponderEliminar
  15. Meu caro anónimo,

    Nós precisamos de arranjar uma vida porque falamos sobre telemóveis e textos em blogues? E o anónimo que, às 3h15 da manhã de uma sexta-feira, vem comentar textos com mais de dois anos precisa do quê? E isto já para não dizer que provavelmente nem conhece o assunto sobre o qual aqui falei. E antes que me diga que eu também estava desocupada para lhe responder às 6h da manhã: estou a trabalhar.

    Cumprimentos

    ResponderEliminar