segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

(De certeza que os psicólogos e psiquiatras vão perceber isto melhor que ninguém)

Acho TANTA mas tanta graça às pessoas que dizem que a solução para os problemas psicológicos "está em nós", que só os fracos, os burros e os menos capazes é que têm depressões e outros problemas, que não é preciso procurar ajuda médica nem tomar medicação. E o problema de isto estar tão enraizado na nossa sociedade é que quem sofre de alguma destas perturbações acaba por se sentir inferiorizado, não procura ajuda, e os problemas vão-se agravando. Engraçado é que não vejo ninguém a dizer que a solução para uma perna, um braço ou uma cabeça partida "está em nós".

17 comentários:

  1. Nunca tinha visto as coisas dessa perspectiva, mas também não acho que só tomar medicamentos seja a solução.

    ResponderEliminar
  2. Nem eu disse isso Fuschia. Faltava-me um "n" antes do em e que fez parecer que só me referia à medicação. Mas completando um bocadinho o que escrevi, os medicamentos são um complemento à psicoterapia que deve em muitos casos deve ser a primeira escolha. Mas que às vezes não chega. E as doenças psicológicas não são doenças menores que se vençam com força de vontade. Tal cmo a força de vontade não cura pernas partidas não cura depressões. Ajuda. E aquilo que aqui quis pôr sobretudo em relevo foi a visão que grande parte das pessoas têm das doenças psicológicas e do tipo de pessoas que elas afectam. E que não corresponde à verdade. Depois estas doenças tornam-se resistentes.

    ResponderEliminar
  3. Tens razão naquilo que dizes. Tudo aquilo que não é físico, que não se vê, é muito mais difícil de compreender.

    ResponderEliminar
  4. Sorry, mas não deixa de estar tudo em nós...

    ResponderEliminar
  5. Também para patologias "físicas" a força de vontade se demonstra importante! Mesmo quem está em recuperação física de algum membro ou parte do corpo, precisa de automotivação constante. Nem tudo se resolve com medicamentos mas nada se resolve sem se querer resolver.As questões psicológicas costuma ter na sua génese uma quebra de alguma auto-determinação mas que é recuperável! :)

    ResponderEliminar
  6. João Ray, então, se generalizares isso, a cura de uma perna partida também está em nós, porque o osso é nosso. E, no entanto, se não puseres gesso e, em alguns casos, se não fores operado, a cicatrização ou não se dá ou dá-se da forma errada. As doenças psicológicas não se resolvem com "força de vontade" apenas.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo, tal cmo eu disse no meu comentário, o querer resolver algo é muito importante. Mas também o é em doenças físicas, tal cmo diz. Quanto à parte da auto-determinação, cmo profissional da área da saúde mental, digo-lhe que não corresponde totalmente à verdade. Não há ninguém imune a depressões, nem crises ansiosas, nem outro tipo de perturbações psicológicas, só porque "tem uma persoalidade forte", conceito, que, aliás, por mais livros de psicologia e psiquiatria que se leiam, não se encontra, pois não existe tal coisa. Normalmente as perturbações psicológicas estao relaciondas com défices de substâncias que nos fazem falta. Logo...

    ResponderEliminar
  8. Não passei bem a mensagem que prentendia passar. Força de Vontade é essencial mas não única quer para depressões, quer para doenças físicas. Alguém que está em depressão terá de aceitar a sua condição e terá de querer sair dela para começar a caminhar para o eu equilíbrio. Neste sentido é que refiro que é sempre necessária a força de vontade. Personalidades Fortes todos poderemos ter se nos proporcionarem um contexto em que tudo está bem e somos os "maiores" :)

    ResponderEliminar
  9. Anónimozinho (cmo até é simpático tem direito ao "inho"),

    Eu percebi mas no entanto quis acrescentar aquelas coisas.

    Não tem nome?

    ResponderEliminar
  10. Olha, concordo com as duas partes. Sim, por vezes precisamos de ajuda médica e de medicação mas sem querermos não atingimos o objectivo: melhoras!

    ResponderEliminar
  11. E por vezes até está em nós, embora a tua perspectiva tb tenha fundamentos!!

    ResponderEliminar
  12. Patrícia (e todos quantos possam ter pensado o mesmo): não estava a falar de mim.

    ResponderEliminar
  13. Pedro,

    Está tanto em nós cmo a capacidade de curarmos uma perna. É importante querer, sobretudo, assumirmos que estamos doentes, uma coisa que é por vezes difícil de fazer porque não se vê, mas, sobretudo é fundamental largar preconceitos e pedir ajuda.

    ResponderEliminar
  14. A todos os que comentaram em geral,

    Não me levem a mal nem pensem que eu acho que sei tudo, mas, o que escrevi não é apenas a minha opinião. Sou psicóloga e por isso advogo algum direito de falar sobre estes conceitos com conhecimento de causa. Os problemas psicológicos precisam tanto de força de vontade como os problemas físicos. Ou seja precisam mas não chega. A solução para a cura está em nós? Está. Mas não a encontramos sem ajuda, seja apenas profissional, seja de medicamentos, seja de ambas.

    ResponderEliminar
  15. Essas pessoas que tu descreveste é que são burros e não percebem que é um problema que pode afectar toda a gente! ; ) ***

    ResponderEliminar
  16. É tão verdade o que dizes! E as pessoas que afirmam estar com uma depressão são olhadas de soslaio no meio empresarial e tidas como "fracas", "incapazes". E depois quem deve pedir ajuda, não pede. Porque não quer pertencer ao grupo dos fracos e incapazes... E acoisa agudiza-se.

    ResponderEliminar