terça-feira, 18 de agosto de 2009

A auto-estima

A auto-estima é uma das características do ser humano de que mais se fala e no entanto é talvez aquela que menos pessoas possuem na medida certa.
E o que é a auto-estima?
É um conceito que se refere ao sentimento que o ser humano tem por si próprio. É aqui que entra o amor próprio, o egoísmo, a noção dos nossos deveres e direitos e muitas outras coisas que não interessa aprofundar.
Muitas pessoas têm uma enorme falta de auto-estima. E dizem-no sem qualquer tipo de problema. Como se fosse uma qualidade. Como se ter pouca auto-estima fizesse com que os outros gostassem mais de nós. Como se fosse algo que os torna superiores aos outros, sendo o oposto daquelas pessoas que se acham os melhores do mundo.
Mas este raciocínio está profundamente errado. A falta de auto-estima não só é uma qualidade mas sim um problema psicológico como também não torna quem a tem superior a ninguém. Torna-o isso sim, mais infeliz e com uma incapacidade maior do que outra pessoa em criar empatia, em gostar dos outros e em ter relações, quer amorosas, de amizade ou profissionais saudáveis. Porque ninguém dá o que não tem. E quando alguém não gosta de si muito dificilmente saberá gostar dos outros de forma equilibrada.
A falta de auto-estima faz com que as pessoas tenham comportamentos profundamente desiquilibrados em relação aos outros e a si próprios. Faz com que as pessoas façam coisas extremamente prejudiciais em relação a elas próprias, coisas que essas mesmas pessoas não permitiam que outros lhes fizessem e que provavelmente considerariam ofensas. No entanto são elas que fazem essas coisas a elas próprioas.
Durante muito tempo pensei que a falta de auto-estima fosse um dos menores problemas psicológicos mas hoje vejo que não só não é dos menores como está na base de muitos outros problemas.
As pessoas com baixa auto-estima são pessoas que têm uma absoluta necessidade de se sentirem gostadas pelos outros e que devido a essa necessidade se tornam extremamente manipuladoras muitas vezes sem o perceberem. São pessoas que muitas vezes até gostam daquilo que são mas não têm coragem de o demonstrar aos outros, de se afirmar, de impôr as suas vontades, opiniões e sentimentos. São pessoas que não se sentem valorizadas pelos outros. E por isto sentem-se injustiçadas. e acham que um dia serão ricos e famosos e aí será finalmente feita justiça e elas serão invejadas por todos os outros que até aí as desprezaram. Mas tudo isto não passam de delírios. Porque, na maior parte das vezes, quem não se valoriza é o próprio. E claro que isso faz com que os outros também não o façam.
Mas as pessoas com fraca auto-estima não percebem isto tal como não percebem que na maior parte das vezes são os comportamentos que têm que fazem com que os outros se afastem porque não olham para os seus próprios comportamentos.
Porque, apesar de parecer um contracenso, estão tão cheias de si próprias, tão presas à sua auto-construída infelicidade, tão entretidas a sentirem-se vítimas com tudo o que os outros (não) fazem que não olham para si, nem, para os outros, nem para a realidade à sua volta.

4 comentários:

  1. A falta de auto estima e mau... muito mau...

    as pessoas ficam limitadas... nao lutam por elas e depois desanimam e voltam a ficar com menos estima... e é um ciclo vicioso...

    ResponderEliminar
  2. aí está uma grande verdade.

    Grande texto Miss G...

    Beijinhos do Leão

    ResponderEliminar
  3. Eu estou nesta fase a tentar recuperar a minha auto-estima. A tentar recuperar a alegria...

    Muita gente não o consegue fazer. Eu tenho a certeza que o farei... e quando o fizer virei mais forte que nunca!!

    Enfim... Beijinhos

    (apenas para completar o comment)

    ResponderEliminar
  4. Estar bem consigo mesmo é das melhores coisas que podemos ter !

    ResponderEliminar