quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ingenuidade

Sou, tendencialmente, uma pessoa ingénua. E quem me conhece sabe bem que isto é verdade.
À partida não vejo maldade nas pessoas, tenho tendência a não acreditar quando vejo que alguém fez alguma coisa mal-intencionada e tendo a desculpar a maior parte das coisas.
Ora esta minha ingenuidade estendia-se a achar que toda a gente agia da mesma forma. Com boas intenções. Sem segundas intenções. E sobretudo sem o objectivo de prejudicar ninguém ou de passar por cima de alguma pessoa para atingir o que queria.
E eu sempre contei as coisas que se passavam comigo. Mesmo antes de ter certezas. Quando havia alguma coisa para contar contava. Até que percebi que muitas pessoas guardam as coisas para elas até terem certezas. E que muitas vezes as publicam no facebook em vez de contar. E que depois se desculpam com "não me perguntaste". E este não me perguntaste muitas vezes não corresponde à verdade.
E é por isso que hoje mesmo dentro dos amigos, próximos, existem alguns a quem não conto as coisas enquanto não tenho a certeza. Comecei a gerir melhor aquilo que conto e aquilo que fica para mim e para aqueles que sei que partilham as coisas comigo. Tenho pena de ter tido que mudar mas continuar a ser parva indefinidamente não me agrada.

Sem comentários:

Enviar um comentário