quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Existem coisas que, mesmo sendo psicóloga, e mesmo sendo bastante tolerante (o que quer dizer que antes de me irritar com atitudes com que não concordo penso que cada pessoa é como é, que cada pessoa tem um passado que a faz agir de determinada maneira, que se calhar no lugar daquela pessoa eu faria o mesmo) me fazem confusão. E uma dessas coisas é aquilo que eu chamo gabarolice.
E o que é então a gabarolice? É muito simplesmente aquele característica que faz as pessoas dizerem que tudo o que as rodeia é o melhor que existe. A casa é a mais bonita, o namorado/marido o melhor do mundo, a vida a mais perfeita, o trabalho o mais fantástico, e, pasmem, até os cafés, e as lojas e os produtos que compram são os fora de série.
Mas depois quando vamos ver e, apenas por acaso, calha irmos ao mesmo café/pastelaria/supermercado percebemos que não são assim tão espectaculares, que há outros muito melhores, que algumas vezes os produtos que dizem que compram nem sequer existem.
E a mim isto faz-me confusão. Não consigo entender esta necessidade. E depois tenho tendência para psicologizar a coisa e a conclusão que tiro é que tudo isto reside num enorme vazio que existe na vida destas pessoas (mesmo que não existam motivos para esse vazio) e que as faz terem necessidade de gabar tudo o que têm.

1 comentário:

  1. Como te disse, acho que algumas pessoas têm uma necessidade injustificada de serem tidas como perfeitas. É alguma coisa ali que lhes falta, certamente...

    ResponderEliminar