terça-feira, 13 de setembro de 2011

Desde há uns dias que na blogosfera não se fala mais nada a não ser no 11 de Setembro. E eu sou mais uma das que se lembra exactamente da incredulidade que tudo aquilo que me provocou, das que gostava de perceber o que realmente aconteceu, o que verdadeiramente motivou aqueles ataques. O choque que senti depois ao ver as torres caírem como castelos de cartas é algo que não consigo descrever. Ainda hoje tento perceber como é que tudo aquilo foi possível. Ainda hoje tenho tantas perguntas para as quais não encontro resposta. Ainda hoje fico estarrecida quando vejo as imagens.
Estive em Nova Iorque há cerca de 15/16 anos quando era adolescente. Quando lá estive, uma das coisas que fiz foi visitar o World Trade Center, subir até ao último andar e ver Manhattan lá de cima em toda a sua grandiosidade. E quem não esteve lá antes das torres caírem não imagina a grandiosidade que tudo aquilo tinha. Estive lá mais ou menos um ano depois de ter havido um atentado nos pisos inferiores, atentado esse que não provocou grandes danos, e que se diz hoje ter também sido preparado pela Al-Qaeda. E quando olho para trás penso que quando na altura nos falaram em atentado nunca, nem nos sonhos sonhos mais parecidos com filmes de ficção científica, nos seria possível imaginar a dimensão que iriam ter os atentados daí a pouco tempo.
Não sei se algum dia vou voltar a Nova Iorque, mas, sabendo de antemão que quem foi sentiu uma tristeza enorme ao visitar o Ground Zero, imagino que eu que lá estive antes, que vi como tudo aquilo era e devia continuar a ser, sentirei um choque ainda maior.

1 comentário:

  1. Deve ser um choque tremendo... daqueles lugares que se adivinham inesquecíveis.

    ResponderEliminar