quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Uma mensagem trocada com uma amiga devolveu-me a lembrança algo de que já me tinha esquecido, como é (TÃO BOM) começarmos a apaixonarmo-nos por alguém: os olhos nos olhos e o sentimento de "há lugar para mim", os toques inocentes e casuais primeiro para sentir a pele do outro e ver se faz contacto, o posar da mão no braço durante uma conversa e os toques mais demorados depois, quando já há pouco a esconder, as conversas intermináveis na descoberta do outro, a saudade a apertar quando não se está e ainda não percebe bem o que se sente, a vontade de estar sempre ao lado dele e descobrir cada vez mais e mais coisas até ao momento em que os lábios se tocam pela primeira vez e é a confirmação de tudo o que tinha sentido até aí: ternura, carinho, paixão e um amor embrionário, uma vontade de que corra bem, de que seja "desta vez", de que o outro venha a gostar de nós como sonhamos ser possível gostar dele, de estar nas nuvens e ser tão bom, de pensar nele assim, do nada a meio do dia e ficar com um sorriso...

6 comentários:

  1. É um sentimento lindo...e a felicidade que transparece pelo sorriso é linda também!

    ResponderEliminar
  2. Pareces um pouco desesperada, e isso não é bom. Além disso não aprovas comentários que não te agradem, o que mostra que não és uma pessoa com quem se possa debater.

    ResponderEliminar
  3. Escrever sobre uma fase boa que é o início de uma relação é parecer desesperada? Não aprovo comentários que considero ofensivos. E por isso é que agora aprovei os seus todos.

    ResponderEliminar
  4. É bom esse início, mas melhor ainda é manter.
    Olhar para trás e ver o que se construíu em conjunto ;)

    ResponderEliminar
  5. :-)
    É muito bom mesmo!
    Beijinhos,Sofia

    ResponderEliminar