sábado, 3 de janeiro de 2009

Balanço

Bem sei que os balanços se fazem, normalmente, no fim dos anos e não no início dos outros.
Mas, quis a vida, que, este início de ano fosse, para mim, uma época de balanços.
"Sou de letras, não me sei dividir", como diz alguém muito especial. "E para mim, um balanço é mesmo balançar, balançar até sair".
Até hoje nunca tinha feito balanços desta relação. Vivi-a sempre com o coração e nunca com os olhos de quem pensa e analisa. Porque, sempre soube, que quando fizesse um balanço, faria um único. E saíria.
Foi muito tempo. Foi demasiado tempo? Foi. Mas penso que foi o tempo que eu demorei para perceber que não vale mesmo a pena.
Não nego que fui feliz e que gostei de ti e dos momentos que passámos. Não me sinto minimamente inferior por o admitir. Pelo contrário. "Foi sempre mais feliz quem mais amou". E felizmente, fui feliz.
Não nego o que senti nem o que vivi, mas, hoje, não me mereces respeito.
Tenho a plena noção que te irei fazer mais falta do que tu a mim. Sei e dizem-mo constantemente, que sou muito superior a ti.
Não te odeio, nem tenho raiva de ti. Mas tenho pena e esse é, sem dúvida, o pior sentimento que se pode ter por alguém.
Espero, sinceramente, que encontres um rumo e tenho pena, por ti, que esse rumo não tenha sido eu. Porque sei que aquilo que sou e aquilo que posso dar. E porque sei que te sentias bem comigo e gostavas de estar comigo.
Mas por mim, fico feliz.
Sei e não tenho medo de o admitir, apesar de não gostar de julgar ninguém, que mereço muito mais e muito melhor.
Balanço: chega de "burgessos" na minha vida. Vou reservar todo o meu tempo para quem gosta realmente de mim, me vê como sou e, assim só por acaso, até são bastantes pessoas.

P.S.: E não digas que a culpa foi minha por ser impulsiva e precipitada. Quem quer mesmo não desiste assim.

Sem comentários:

Enviar um comentário